Artigos Carnaval Cidade Comércio/Indústria Destaques Educação Esportes Eventos Música Piadas Política Sociedade Vídeos
você está em » Artigos
Data de publicação: 05/07/2015    |    Enviar por e-mail   |   Imprimir   |   Tamanho do Texto:     |   Compartilhar:    
Data de Publicação: 05/07/2015
GUARDA NOTURNA DA COMARCA DE CATANDUVA (4 fotos)
01.09.1937 – Diretoria da Guarda Noturna defronte à Igreja Matriz São Domingos. Da esquerda para a direita: 1) Carlos Merighe, 2) João Pinotti, 3) Reynaldo Gonçalves (1º secretário), 4) Dr.Francisco Figueiredo Lyra (delegado de polícia e presidente honorário), 5) João Toledo, 6) Gentil de Ângelo (1º Tesoureiro), 7) Alfredo Minervino (presidente e prefeito municipal), 8) Dr. Octacílio Lopes (vice-presidente), 9 ) Paulo Elias Antonio, l0) Fermínio Leite Nogueira, 11) José Patriani, 12) Giordano Mestrinelli. Ao fundo soldados que faziam parte do batalhão de vigilantes.
15.03.39 – Inauguração do prédio da Guarda Noturna, à rua Amazonas, 161 (imóvel de uso da Prefeitura), construída em terreno doado pela Prefeitura Municipal de Catanduva, planta elaborada pelo Dr. Antonio Záccaro, iniciativa do Dr. Francisco Figueiredo Lyra, Delegado de Polícia local, realização da sua Diretoria e colaboração da população Catanduvense.
Na foto em primeiro plano a entrada do Shopping, depois o antigo prédio da Guarda Municipal, mais acima o da Secretaria da Educação (antigo Fórum)
Placa colocada na frente das casas

 Nelson Bassanetti

O Jornal “A Cidade” de 29 de janeiro de 1937, fez publicação do Regulamento da Guarda Noturna de Catanduva, elaborado pelo Dr. Francisco de Figueiredo Lyra, que era então Delegado de Polícia do Município e logo após em primeiro de  setembro no edifício da Associação Comercial, formou-se sua diretoria. Já organizada, em dezembro daquele ano, objetivando a construção de sua sede própria, organizou-se um “Livro de Ouro” que recebeu as primeiras doações em réis, moeda da época: Ricardo Lunardelli 2:000$000; Rufino Benito, Irmãos Alonso, Calil Buazar e Basseto & Cia. Ltda; 1:000$000 cada um, Daniel Soubhia, Chafic Maluf e Iran Silva & Cia., 500$000, cada um. Em tijolos, foram feitos as seguintes doações: Gaspar Trazzi 115 mil; Ozório Louzada 15 mil. No dia 15.03.1939 inaugurou-se o bonito prédio de 3 andares, onde se gastou 100:000$000, cotizados  entre a população da cidade, tendo havido às 17 horas a inauguração oficial e depois às 20 horas o banquete comemorativo na Casa D’Itália, Rua Alagoas, 32,  servido pelo restaurante do Café da Esquina, com refinado cardápio com alguns termos alienígenas: “cocktail, creme de aspargos, mayonnaise au printemps, paulet chasseur, crevete au riz, peru champêtre. Au desser: Creme d’orange, pouding, café, cigarrete”. Usaram da palavra o Prefeito Municipal e Presidente da Guarda Noturna Sr. Alfredo Minervino, o brilhante causídico  Dr. Antonio Christovam Fernandes Júnior, o Delegado de Polícia Dr. Francisco Figueiredo Lyra, o ex-prefeito Octávio Gouvêa, representando o Dr. Adhemar de Barros, interventor federal do Estado,  o dr. Octacílio Lopes (renomado oftalmologista, agraciado no Rio de Janeiro em 1944, com o Prêmio Moura Brasil), o advogado Dr. Ítalo Záccaro e Carlos Machado do Jornal “O Corneta”.  Abrilhantando as festividades, tivemos música pelo  conjunto de jazz do Sr. Mozart de Abreu (pai do Sílvio de Abreu, autor de Belíssima, da Rede Globo). A Guarda Noturna foi estruturada pensando coletivamente, integrando Catanduva e cidades vizinhas,  sendo   comandada pelo Sargento Carlos Valino, o seu efetivo era de 33 elementos, sendo 13 destes em Catanduva e os demais distribuídos pelos seguintes municípios e distritos:  4 em Tabapuã, 4 em Pindorama, 3 em Ibirá, 2 em Novais, 2 em Ariranha e 1 em Palmares Paulista, Elisiário, Caputira, Catiguá e  Jacaúna. Existia um serviço de fone-patrulha que conectava a sede com alguns pontos da cidade onde presumivelmente estavam os guardas e que era um sistema para se certificar da eficiência  e controle dos serviços prestados. E com essa matéria fica comprovado que há 78 anos atrás a segurança já era uma necessidade e preocupação  geral e vale registrar o penhor evidente da capacidade de trabalho e realização  daquela Diretoria e dos nossos munícipes que se cotizaram para a construção de sua sede própria, cujo prédio situado  à rua Amazonas, 161, hoje abrigam órgãos da Prefeitura Municipal de Catanduva. 

Pesquisa Revista “Máxxi’s”, em artigo do professor Brasil Procópio de Oliveira  e Jornal “A Cidade”,  ambas do arquivo do Museu Padre Albino.

VEJA TAMBÉM
1918 – Nomes de famílias residentes em Catanduva (5 listas)
CICLISMO EM CATANDUVA (1)
GINÁSIO CATANDUVA (7 fotos)
RETROSPECTIVA DO ANO DE 1953, TEM O FILME “CANTANDO NA CHUVA”
Praça da Independência (1)
RETROSPECTIVA DO ANO DE 1931 TEM O FILME “O ANJO AZUL”
JOSÉ LINS DO REGO E O PERÍODO DE OURO DE CATANDUVA
1960 - Depredação do prédio da Companhia Nacional de Energia Elétrica
MINGUTA, UM DOS FUNDADORES DE CATANDUVA (3 fotos)
SÍLVIO DE ABREU, AUTOR DE TELENOVAS - EXPERIÊNCIA ARTÍSTICA EM CATANDUVA
Copyright © Catanduva Cidade Feitiço