Artigos Carnaval Cidade Comércio/Indústria Destaques Educação Esportes Eventos Música Piadas Política Sociedade Vídeos
você está em » Piadas
Data de publicação: 05/07/2011    |    Enviar por e-mail   |   Imprimir   |   Tamanho do Texto:     |   Compartilhar:    
Data de Publicação: 05/07/2011
1932 - Batricio (Patrício) da Luz

 Cornélio Pires, no seu livro de anedotas “Pataquadas”, registra um fato verídico de Catanduva.

Foi em 1932 ... Estávamos em meio à revolução Constitucionalista. Os velhos faziam a vigilância das estradas de rodagens, em substituição aos jovens que haviam partido para o “front”. Todos lutavam, constituindo célula viva do Batalhão Catanduva, comandado pelo Coronel Patrício da Luz.

Era numa das muitas noites em que vivíamos no escuro, pois a Empresa Elétrica, dirigida pelo Sr. Gataz Maluf, vivia em grande escassez de energia. Nessa noite, o Cel, Patrício da Luz, vindo do QG de Olímpia, foi “barrado”, ao aceno de carabina, na entrada da cidade, pelo guarda e cidadão sírio Anderáos, que durante muitos anos residiu em Catanduva.

- Num bode bassa. (Não pode passar)

- Como não? – indagou espantado o Coronel.

- Num bode. Num conhece sinhur . . .

- Não vê, homem ? Eu sou o Patrício da Luz.

- Tabiação, sinhur!  Batrício da Luz é Gataz Maluf . . .

VEJA TAMBÉM
BAR DO FUKUDA
"Sombra e água fresca"
1932 - Batricio (Patrício) da Luz
"Vá lá, você é amigo"
"Quentão - Boa Bebida"
Copyright © Catanduva Cidade Feitiço